Total de visualizações deste blog

JUNTE-SE A NOSSA FAMÍLIA

MEMBROS DESTE BLOG

SEGUIR POR E- MAIL

RESGATANDO A ESTRELA MAIOR


" partiram; e eis que a estrela, que tinham visto no oriente, ia adiante deles, até que, chegando, se deteve sobre o lugar onde estava o menino."{Mateus 2:9}
Ai que saudades dos natais da minha infância! Tudo era mais bonito, eu podia sentir algo diferente no ar,quase palpável...
Era uma sensação diferente que só dava para sentir no natal.
Você pode pensar ,como eu um dia pensei, era a inocência da infância...Mas não!
É que antigamente nós sentíamos mais, amávamos mais, perdoávamos mais, então assim era mais fácil notar a presença dele, ali e em todo o lugar.
O sabor da comida era diferente. Esperávamos o ano todo, só para ficar ao redor da minha avó vendo ela caprichosamente preparar cada prato. Eu e meus primos enfeitávamos a casa, fazíamos desenhos e volta e meia espiávamos aquela árvore na sala e bem embaixo dela estava lá, um presépio em que tínhamos o prazer de colocar cada figura com muito cuidado.Me lembro que na árvore havia uma estrela enorme da cor prata ,bem no topo e o menino Jesus tinha que ficar milimétricamente bem a baixo daquela estrela.
Tudo era em torno dele, afinal ele era o principal naquela noite.E entre nós todos o que tinha que ter era sorrisos,união e amor.Era como se isso fosse o nosso presente para ele, o que realmente é!
Só podíamos cear depois da meia noite, meu avô pedia a um padre para abençoar um pão sem fermento, e antes de tocarmos na comida, sentávamos de mãos dadas,ele fazia nós olharmos nos olhos de cada um, e ali mesmo, pediámos perdão pelos nosso pecados, pelas nossas rasuras entre nós, agradecíamos pela saúde , pela união, por nossa família, e no mais tocante pediamos que o aniversariante da noite, o Senhor Jesus fissesse parte das nossa vidas e dias.Depois de feita a oração ,era nos dado o pão e o vinho, em memória de Cristo,e só depois disso comíamos.
Os presentes estavam lá,mas nunca foram o foco.
Saudades daqueles natais, que com o passar do tempo, passaram e se foram....
Tudo hoje brilha mais, há mais luzes e mais tecnologia.As crianças de hoje já não acreditam em papai noel, muito cedo sabem que isso é papo furado.Aniversário de Jesus?Vagamente se lembram,pois nas árvores de hoje ,já não há mais espaço para o presépio.
O mundo comercializou o natal, e nós criamos uma distância tão grande entre cada um, que os brilhos do mundo ofuscaram o brilho da estrela maior: JESUS.
Não conseguimos mais senti-lo, como antes... será que ele faltou no seu próprio aniversário?Onde estará Jesus, no meio deste mundo de luzes e ofertas ?
Onde estão a familias reunidas? Morre o patriarca e o elo que unia a familia se dissolve ...
Os laços que une a familias de hoje são tão finos e limitados!Acabam , se perdem...
Não há mais tempo para se unir, para amar, perdoar. Esgotou-se a sinceridade da mesa natalina!
Trocamos presentes, mas não trocamos olhares.Gastamos todo o tempo buscando as melhores ofertas, mas não dispomos de tempo para um abraço!É mais fácil não falar,não olhar, fingir...
Seria muito estranho que no meio de tantos fleches de luzes falsas, pudéssemos ter a sensibilidade de enxergarmos que existe uma luz que brilha mais do que qualquer uma.
Somos programados para não enxergarmos, não sentirmos!
Mas somos cristãos, e o natal é uma festa que se diz cristã, mas cadê o Cristo?
Cristo poderá se sentar a mesa da nossa ceia e cear conosco?
Será que nas nossas mesas está os pratos básicos, que Cristo divide? O prato do amor, a farofa da misericórdia, o acompanhamento de perdão, a toalha da sinceridade, a sobremesa do beijo, do abraço, do conte comigo...
Ou será que só ofereceremos para Cristo peru?
Será que no meio de todos os presentes que compramos para dar, poderemos dar para alguém o maior presente que já nos foi dado por Deus - JESUS CRISTO?
E Jesus está dizendo: 'vem cear, o mestre te chama..vem cear..!"

O GRANDE PROPÓSITO


Quem deu crédito à nossa pregação? E a quem se manifestou o braço do SENHOR?
*
Porque foi subindo como renovo perante ele, e como raiz de uma terra seca; não tinha beleza nem formosura e, olhando nós para ele, não havia boa aparência nele, para que o desejássemos.
*
Era desprezado, e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores, e experimentado nos trabalhos; e, como um de quem os homens escondiam o rosto, era desprezado, e não fizemos dele caso algum.
*
Verdadeiramente ele tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus, e oprimido.
*
Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.
*
Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu caminho; mas o SENHOR fez cair sobre ele a iniqüidade de nós todos.
*
Ele foi oprimido e afligido, mas não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro, e como a ovelha muda perante os seus tosquiadores, assim ele não abriu a sua boca.
*
Da opressão e do juízo foi tirado; e quem contará o tempo da sua vida? Porquanto foi cortado da terra dos viventes; pela transgressão do meu povo ele foi atingido.
*
E puseram a sua sepultura com os ímpios, e com o rico na sua morte; ainda que nunca cometeu injustiça, nem houve engano na sua boca.
*
Todavia, ao SENHOR agradou moê-lo, fazendo-o enfermar; quando a sua alma se puser por expiação do pecado, verá a sua posteridade, prolongará os seus dias; e o bom prazer do SENHOR prosperará na sua mão.
*
Ele verá o fruto do trabalho da sua alma, e ficará satisfeito; com o seu conhecimento o meu servo, o justo, justificará a muitos; porque as iniqüidades deles levará sobre si.
*
Por isso lhe darei a parte de muitos, e com os poderosos repartirá ele o despojo; porquanto derramou a sua alma na morte, e foi contado com os transgressores; mas ele levou sobre si o pecado de muitos, e intercedeu pelos transgressores.
Isaías 53

"FAMÍLIA" É SUA PRIORIDADE?




Quando Davi voltou certa vez da guerra entrou na cidade todo imponente com seu cavalo, seus títulos, mas o que ele avistou foi uma cidade saqueada e destruída.
O desejo de ganhar almas para Cristo , de sermos 'uma benção', 'um(a) missionário(a)', de termos um lugar eclesiástico dentro da igreja, muitas vezes tem afastado o foco da nossa família.
E este assunto já está sendo motivo de seminários e grupos especiais dentro das igrejas, porque por muitos anos não foi priorizado pelos lideres cristãos. O foco foi distorcido, priorizando a obra de Deus fora de casa, guerreando lá fora , indo em busca de conquistas, almas e mais almas para o Reino e com o tempo perdendo a autoridade espiritual dentro do lar.
Isto é notório, pois o fato é: se somos unidos em Cristo dentro do nosso lar então somos um corpo em Cristo dentro da Igreja.
Um dos maiores problemas espirituais, sociais e institucional que a igreja hoje sofre ,é a falta de união,ou seja uma unidade em Cristo e para Cristo. O grande som que ressoa hoje dentro das igrejas é : 'cada um por si e Deus por todos!"Se olharmos rapidamente até podemos nos ver como 'os soldados do Rei' mas cada um está por si e se Deus quiser que venha junto...
Assim a igreja reflete o que está dentro de casa. Isso vem da casa do pastor, do obreiro, do missionário, do evangelista, da diaconisa, do ministro de louvor. Afinal por mais que se tente disfarçar, colocando um crachá e uma máscara eclesiástica o problema não some. A divisão está ali, bem viva.
Se não somos 'um' com a nossa esposa/marido, jamais poderemos ser com Cristo."Assim, não são mais dois ,mas uma só carne."{Mateus 19:6}Porque quando dizemos um 'sim' e fizemos um voto diante do altar e o concebemos pelo ato sexual, chamamos Deus para ser 'um' conosco(marido/mulher). E muitos acham que este 'um' começa e termina só debaixo dos lençóis, mas Deus vê em tudo e para tudo e todo o sempre, amém.Seja nos lençóis, no trabalho, na economia do lar, na criação dos filhos, nos sonhos , na obra eclesiástica.Por isso é feito aquelas perguntas: amarás na saúde e na doença?Na alegria e na tristeza?Honrarás?Porque é para sempre diante de Deus!Porque para Deus 'sim' é SIM!
Então aceita Jesus e começa agir como um adolescente inconseqüente ou criança na frente de um bolo. Esquece que tem casa, familia, mulher e filhos. É igreja de manhã, de tarde e de noite. Jejum e mais jejum, tudo é diabo, é pecado...Não tem tempo pra conversar mais, não pode parar e estar com os filhos, o sexo já não é tão bom como era antes. É voto , oferta disso e daquilo e não sobra nem para dar um sorvete pra mulher e filhos. Aí começa as brigas, divisões e a unica coisa que você consegue enxergar e falar, é que : 'O inimigo está se levantando!"Mas jamais discerni que você está sendo negligente com sua família.Está aí o inicio da grande bola de neve, e que muitos empurram com a barriga, colocam a sujeira em baixo do tapete e vão para o culto de domingo tomar a ceia.E depois querem poder, unção, almas, cumprimento das profecias...e blá-blá-blá. " Mas se alguém não tem cuidado dos seus,e principalmente dos da SUA família , negou a fé, e é pior do que o infiel."{I Timóteo 5:8}
Até mesmo dentro da igreja ,os casamentos já tomam a direção de apenas contratos.Onde a união fica só no papel e socialmente. Mas encontramos mulheres que são um poço de amarguras, descontentes com seu companheiro,muitas vezes são humilhadas e esquecidas,que desabafam em lágrimas porque não são notadas dentro de casa,que não são amadas como desejam.E que se abrem em retiros e mais retiro de cura, uma cura que nunca vem porque o agressor nunca parou de machucar E MUITAS VEZES NEM SABE QUE ESTÁ MACHUCANDO. Não há cura sem ter sinceridade.Mulheres que choram umas com as outras e desabam todas as suas frustrações de esposa, mulher e mãe, mas que voltam para casa e permanecem em silêncio vestindo a mesma máscara ,esperando um novo retiro de cura.Enquanto a solução que Deus quer dar está em ser honesta e verdadeira com seu marido.
Quantos retiros de homens que não sabem o que fazer, como agir.Não sabem amar, não sabem demonstrar afeto, não tem intimidade com a esposa, com os filhos.Esqueceram ou nunca aprenderam o que é ser PAI e MARIDO. Não há sacerdócio no lar, não há autoridade na vida deste homem.Homens que se queixam de mulheres que arrancam a liderança deles dentro de casa, que inventas mil desculpas para não fazer sexo, de filhos ausentes. Homens com o sacerdócio quebrado, mas que estão nos cultos orando por todos e distribuindo a ceia."Igualmente vós maridos, coabitai com elas com entendimento,dando honra à mulher, como vaso mais fraco; como sendo vós os seus coherdeiros da graça da vida;para que não sejam impedidas as vossas orações."{I Pedro 3:7}
Que tipo de igreja temos? Reflexo de lares falidos , de casamentos frustrados!
De filhos abandonados, sem atenção , sem compreensão, sem companheirismo, sem amizade, sem amor, sem paz. Pais que saem para ganhar o mundo para Jesus e perdem os filhos para a televisão, para o amigo da escola, para um relacionamento qualquer, para a balada, para as drogas e prostituição.
O que o apóstolo Paulo nos dá de conselho:'Porque se alguém (falando de deveres dos obreiros da casa de Deus) não sabe governar a sua própria casa, terá cuidado da igreja de Deus?{I Timóteo 3:5}.
A sua família tem sido sua prioridade? Família é e sempre foi a prioridade de Deus!
A primeira igreja de Cristo começa dentro de cada lar.E isso vai do primeiro a aceitar a Cristo ,dando passo por passo em fé ,mas também pela luz da Palavra, sendo oSEU testemunho notável, aceitável, confiável e desejável. Quando Jesus ressuscitou e encontrou dois discípulos tristes no caminho de Emaús, ele foi descoberto no momento que repartia o pão e também porque quando falava nas escrituras fazia arder em amor os corações dos discípulos. Não obrigamos os nossos familiares a servirem a Cristo, não obrigamos nossos filhos a sentarem em um culto massante de tres horas , nós temos que conquistá-los em amor assim como Cristo fez conosco."Sabemos que não é a nossa imposição de fé que convence alguém do pecado ,ou que o faz amar a Cristo.Mas sabemos que é pelo espírito Santo de Deus que há convencimento em nós ou sobre alguém.A obra é sobrenatural e é de Deus.
E nós? Nós; pais, filhos, esposas e maridos somos instrumentos de Deus dentro do lar e fora dele também, tendo a plena consciência de que tudo aquilo que semearmos iremos colher, seja no casamento, nos filhos ou na igreja; e a certeza que Deus requerirá de cada um de nós, o verdadeiro compromisso de sermos primeiramente família no nosso lar, para realmente pertencermos diante dele da família divina."Porque onde estiverem dois ou três reunidos EM MEU NOME, aí estou eu no meio deles."{Mateus 18:20}.

Mulheres São Quase 60% dos Crentes Brasileiros e Ganham Força nos Púlpitos das Igrejas


Desde os tempos em que cabia às mulheres a exclusiva tarefa de ficar em casa, cuidando dos afazeres domésticos e dos filhos, elas são maioria nas igrejas. Basta visitar um culto para se ter a impressão de que as mulheres são muito mais numerosas que os homens nas igrejas. Mas só há relativamente pouco tempo têm tido acesso ao local de mais destaque no templo: o púlpito. Ultimamente, o ministério feminino tem ganhado força, num mundo onde cada vez mais as mulheres se destacam. Em mais e mais igrejas evangélicas – tradicionais, pentecostais ou neopentecostais –, a figura das pastoras, diaconisas, presbíteras e até bispas já se tornou rotineira, situação bem diferente do que ocorria no passado, quando ao gênero feminino eram reservados cargos de menor visibilidade, como cuidar de crianças ou lecionar na Escola Dominical. A Igreja Evangélica brasileira chega à segunda década do século 21 com uma face mais feminina do que nunca. Segundo as estatísticas da organização Servindo Pastores e Líderes (Sepal), quase 60% dos crentes brasileiros são mulheres. E, embora ninguém goste de assumir qualquer discriminação, é fato notório que a membresia feminina demorou bastante para sair das posições eclesiásticas periféricas e conseguir ascender à liderança. Mas que fique claro que não foi uma transformação consciente, planejada – como acontece com a maioria das mudanças de natureza social, a revolução feminina evangélica é parte de um todo. “A Igreja passou a responder às necessidades da sociedade e essa mudança de paradigma se deu na medida em que a sociedade abriu-se para a liderança feminina nas mais diversas áreas”, diz o missionário Luis André Bruneto, coordenador de pesquisas da organização Servindo Pastores e Líderes (Sepal). O pesquisador situa tal metamorfose num passado recente. “Essa abertura à mulher ocorre nas décadas de 1970 e 80, e vai se refletir na Igreja principalmente nos anos 90, exatamente a época em que a Igreja brasileira mais se pulverizou e cresceu”, aponta. O surgimento de milhares de novas congregações evangélicas, fenômeno religioso contemporâneo no país, é uma explicação. “Isso se deu devido à necessidade de líderes que a própria Igreja possui”, acrescenta Bruneto. E as mulheres foram naturalmente pondo a mão no arado. Agora, essa Igreja chega à segunda geração de líderes mulheres perguntando-se o que elas têm de melhor a oferecer. Embora, naturalmente, ainda haja muitas resistências à liderança de saias – e o Novo Testamento, de acordo com a ótica da interpretação, pode tanto legitimar como rejeitar o pastorado feminino –, diversas igrejas já se utilizam do trabalho das obreiras há bastante tempo. Denominações tradicionais como a Metodista e a Luterana adotam tradicionalmente o pastorado feminino, franqueando às mulheres até cargos de direção em suas organizações. Outras, como a Igreja do Evangelho Quadrangular (IEQ) – esta, de linha avivada –, têm nas suas origens a marcante presença feminina. Foi a canadense Aimee Mcpherson que fundou a organização, em 1923, nos Estados Unidos. Hoje, a Quadrangular está em mais de uma centena de países, inclusive no Brasil, onde é uma das dez maiores denominações evangélicas. “Essa participação da mulher é ativa, fluente e expressiva”, concorda a coordenadora nacional das Mulheres Quadrangulares, Mara de Barros Flores. “Já está provado que temos a capacidade, o amor e a unção necessários para o crescimento da Igreja”. Ela acredita que as denominações que rejeitam a participação feminina efetiva em cargos de liderança estão perdendo tempo. “A ajuda feminina que é ativa, fluente e expressiva”. Na IEQ, mulheres atuam em todas as funções eclesiásticas, chegando a ocupar 50% do ministério. E não basta ser simplesmente casada com um pastor – a candidata ao púlpito precisa seguir os trâmites estatutários e ter o mesmo estudo e preparo dos colegas de terno. “Além, claro, do chamado, da vocação e da liderança necessárias para estar à frente de uma igreja como pastora titular.” Sonia do Nascimento Palmeira, presidente da Confederação de Mulheres da Igreja Metodista do Brasil, cita o exemplo de Marta Watts, primeira missionária da denominação a chegar ao Brasil, para destacar a importância do protagonismo feminino na obra de Deus. A obreira, vinculada à Sociedade de Missões Estrangeiras das Mulheres da Igreja Episcopal do Sul nos Estados Unidos veio com a tarefa de educar crianças e moças. No mesmo ano, fundou o Colégio Piracicabano, em Piracicaba (SP), que hoje é conhecido como Centro Cultural Marta Watts. Criou ainda um colégio em Petrópolis (RJ) e outro em Belo Horizonte (MG), colaborando sempre com as mulheres para que tivessem acesso à educação num tempo em que este direito lhes era constantemente negado. A ênfase nestes estabelecimentos era “ministrar uma educação liberal às moças para que seu horizonte intelectual e espiritual se ampliasse, preparando-as para agir com independência”, conforme o lema do Marta Watts. “Proveito” Sonia considera lamentável que ainda existam igrejas dominadas apenas por homens. “Vejo isso como um equívoco muito grande, pois a Palavra de Deus ensina exatamente o contrário. Jesus valorizou as mulheres. Elas foram criadas da mesma forma que os homens, com todo o potencial que eles têm também”. Para ela, o direito de exercer papel de destaque é tanto dos homens como das mulheres. “Na nossa Confederação, estamos preocupadas como Marta Watts esteve um dia, em impulsionar as mulheres de hoje a buscarem cada vez mais o seu lugar na Igreja e no mundo”, explica. Tal lugar, segundo a psicóloga Isabelle Ludovico, deve passar necessariamente por qualidades tipicamente femininas, como a doçura e a afetividade. Em seu novo livro, O resgate do feminino, ela diz que o ambiente competitivo acabou roubando das mulheres aqueles aspectos comportamentais que sempre as diferenciaram dos homens, com consequências na qualidade da vida afetiva e espiritual – e que isso precisa ser revisto. “As mulheres assumem muitas atividades na igreja, e isso é movido por sua paixão pelo Reino de Deus”, diz (veja Entrevista abaixo). “A participação da mulher em posições de liderança trouxe muito proveito para a Igreja”, endossa o pastor Carlos Barcelos, da Igreja Batista do Morumbi, em São Paulo. “Considero importante o olhar feminino, que contribui para a ampliação de percepções dos vários problemas que uma comunidade pode enfrentar”. Defensor do mérito, independentemente do gênero, Barcelos diz que o papel a ser exercido pela mulher na igreja depende de suas capacidades e habilidades. “Toda posição de liderança, seja preenchida por um homem ou mulher, demanda do líder o cultivo de uma vida cheia do Espírito, pois as decisões tomadas afetam a vida de muitas pessoas”, pondera. Por isso mesmo, acrescenta, a mulher não deve deixar de lado suas características para sentir-se aceita. “Quando a mulher pretende agir como homem, está no caminho da falha.” O pastor sugere um reestudo hermenêutico do texto bíblico de I Timóteo 2.11, que comumente é usado para justificar uma suposta posição secundária da figura feminina no contexto da Igreja. Para ele, a expressão “ficar em silêncio” deve ser entendida num contexto de disputa por autoridade, inclusive sobre o homem. “Toda situação em que o homem se retrai e a mulher entra no espaço deixado por ele costuma trazer problemas sérios”, analisa. Às mulheres com destaque na igreja, Barcelos aconselha, sobretudo, que se submetam àquilo que o Espírito Santo lhes indicar. “Isso não pode ser contrário ao que a Bíblia ensina e nem uma bandeira reivindicando posições. Se determinada irmã tem convicção de um chamado, trabalhe com paciência até que surja a oportunidade de pô-lo em prática”. Exercício dos donsBlanche Bruno, pastora de missões e aconselhamento da Igreja Cristã Casa da Rocha, acha que o mais importante é o exercício dos dons para abençoar a congregação. “O Espírito é o mesmo que age em todos, mas Deus criou a mulher com sensibilidades particulares”, diz a obreira. “Nossos mecanismos de percepção são diferentes dos homens, e por isso o papel feminino, tão importante na família e no trabalho, também o é no âmbito da igreja”. Blanche, que juntamente com o marido, José Bruno, eram bispos na Igreja Renascer em Cristo até o ano passado, acredita que a igreja não funciona por causa dos cargos que as pessoas nela ocupam, mas pelo cumprimento do chamado de seus membros. “Quando isso acontece, cada um está no seu devido lugar, seja homem, seja mulher”. A jovem Alyne Romeiro, assistente pedagógica e membro da Igreja Cristã da Trindade, avalia como seria uma igreja sem a participação de mulheres na liderança. Ela atua no ministério de louvor e organiza eventos para os jovens em sua igreja e acredita que Deus chama a cada um individualmente, independente do sexo. “Uma igreja sem mulheres à frente, seria uma igreja de poucas atividades, criatividade e talvez alguns detalhes passariam despercebidos. “Deus nos fez criativas, mais emocionais, preocupadas com detalhes, mais ouvintes, temos maior facilidade em abrir mão de nossas coisas.” Alyne não consegue se imaginar sentada, sem fazer nada. Não só pelo fato de ser filha de pastor, mas sim pelo fato de ser cristã. “É como se eu fosse devedora. Se quero que todos sejam alcançados por essa graça, preciso trabalhar para isso e trabalho por amor e gratidão ao Senhor”, declara. A valorização que Cristo fez da figura feminina é lembrada por Lia Casanova, ligada ao Ministério Desperta Débora, como principal endosso a uma participação cada vez mais ativa da mulher na obra de Deus. . “Tenho firme convicção de que Deus nunca se agradou da forma como a mulher passou a ser tratada ao longo da história, por isso Jesus se deu ao trabalho constante de mostrar aos homens como devemos ser consideradas”, advoga. Ligada a um movimento nacional de oração integrado exclusivamente por mulheres, ela lembra o exemplo de grandes mulheres de fé na Bíblia, como Maria, a mãe de Jesus, e Madalena, que não negou seu Mestre nem nos momentos de maior perigo. “Nós somos feitas por Deus e devemos nos colocar nas suas mãos para que possa nos usar para seu serviço e sua glória quando, onde e como quiser.”
FONTES:
www.adonainews.com.br www.cristianismohoje.com.br www.gospelprime.com.br

QUEM DERA QUE LUTERO ESTIVESSE AQUI...



Em 31 de outubro de 1517, Lutero afixou uma série de críticas - que se tornaram conhecidas como 95 Teses - na porta da Igreja do Castelo de Wittenberg. As Teses eram um protesto contra o abuso da autoridade do Papa, especialmente no sentido de desafiar o Papa a esvaziar de graça o purgatório, já que diz controlá-lo. Lutero também negou o ensino do mérito extra que estava por detrás das indulgências. Segundo Lutero, o verdadeiro tesouro da Igreja é o Evangelho - a proclamação do amor de Deus.A Igreja Romana da época costumava dizer que algumas pessoas possuiam mais méritos do que tinham necessidade para serem salvas. Por isso, este "mérito extra" dessas pessoas poderia ser transferido - especialmente através de pagamento - para pessoas cuja salvação era duvidosa. Lutero protestou contra esta prática, chamada de indulgência. A aflição de Lutero somente encontrou resposta no dia em que encontrou na Bíblia a certeza de que não existe como alguém merecer o favor de Deus por alguma coisa que faz; que a única forma de alguém obter o favor Deus é através da fé em Jesus Cristo; que através da fé em Jesus que os pecados são perdoados por Deus. Esta entendimento, conhecido como a doutrina da justificação pela fé, tornou-se um dos pilares do pensamento religioso de Lutero.As idéias de Lutero logo encontraram adeptos em todas as regiões da Alemanha, e mesmo fora dela. A resposta do Papa à situação foi uma bula (ordem papal), ameaçando Lutero de excomunhão, caso não se retratasse. Em protesto, ele queimou publicamente a Bula e foi excomungado em janeiro de 1521. A Reforma Luterana é um dos acontecimentos mais importantes da história. Ela foi resultado do empenho de um sacerdote alemão da Igreja Católica - Martinho Lutero - em reformar ensinos teológicos e comportamentos morais da Igreja, com base no ensino bíblico. A resistência da Igreja determinou o crescimento do movimento e, por fim, o surgimento de novas Igrejas - como a Igreja Luterana ou o que chamamos hoje de protestantes.
Agora todos os dias ' 31 de outubro' temos nos calendários a lembrança deste fato e muito pouco comemorado pelos protestantes atuais que não tem nenhum tipo de sentimento maior por serem protestantes.
Antes ,no protestantismo de Lutero havia uma bandeira a ser erguida: A fé, A graça, O Perdão - Jesus Cristo, O Evangelho!
Hoje o que nos restou? Apenas as inúmeras denominações .Placas e mais placas de igrejas que se dizem protestantes,mas que anunciam um Cristo bem modificado, modernizado e pra lá de insustentável em meio a tantas aberrações absurdas que não tem fundamento bíblico algum e que embalam o ego dos pecadores e engordam as contas bancária de pastores,bispos,e tais apóstolos.
A igreja de hoje é medida pelos grandes templos luxuosos, colocando muita igreja católica no bolso.E se não pararmos com isso teremos um segundo Vaticano, só que protestante - tipo este templo de Salomão que o tal 'bispo' Edir Macedo vai fazer em São Paulo.
Aonde iremos parar?Já pensou Lutero passeando no meio deste templo?Ouvindo sobre a tal fogueira santa,sal da purificação, a rosa ungida....Iria faltar número para tanta tese, de 95 seria quantas hoje? 2000? 5000? Mais?
No tempo de Lutero declarar que se era protestante lhe causaria alguns transtornos e poderia levar até para a fogueira.
Hoje se declaramos que somos protestantes é motivo de chacota de todos ao redor devido os inúmeros escândalos feitos por todos os líderes evangélicos da atualidade.Que vergonha...não de Cristo, mas deste tal chamado protestantismo evangélico moderno de hoje!

Lutero ,mártir em luta pela a verdadeira Igreja de Cristo, erguendo a bandeira da santidade e da fé, em um tempo de ganância e religiosidade.
Tirou as roupas da religião e ofereceu o manto da fé! Proclamou amor pelas almas em meio a uma sociedade individualista.
Estamos nos dias de hoje reinventando a religiosidade,apenas foi colocado uma nova roupagem,menos chamativa..mas que no final se torna semelhante a primeira.As igrejas de hoje medem a sua religiosidade com suas bulas doutrinárias,seus tabus, suas roupas e padrões de comportamento e competem silenciosamente entre si arrancando as ovelhas oferecendo cada vez mais leveza nos padrões morais e novas unções e bençãos.
A troca de valores é tão visível que podemos escolher se iremos ficar na igreja que pede só 10% de dizimo e 'cobra deliberadamente' as ofertas como uma forma de sermos mais abençoados nesta terra e desfrutarmos de todos os prazeres poupáveis ; afinal deus tem 'obrigação' de abrir todas a janelas do céu ao nosso favor,ou Deus é mentiroso?Pobre miserável e cego protestantismo atual.Vergonhoso e fraudulento protestantismo, Lutero chamaria de' indulgências modernas' ! Pobre sangue derramado de Cristo...
A grande luta de fazer com que a Bíblia fosse traduzida em todas as línguas e que todos tivessem acesso. A luta de todos os analfabetos ouvirem a palavra no seu idioma e receber a Cristo.Quantos homens sofreram para que tivéssemos hoje um exemplar ou até vários ao nosso dispor. E para que?
Lemos a Bíblia?Que valor estamos dando a ela? Qual o valor dela em um culto? Vou dizer meu querido irmão protestante...
Vamos ao culto para ouvir Deus falar.... ' pelo menos dizemos isso' mas chegando ao culto, há igrejas que oferecem quase duas horas só de música gospel, que chamam do momento do louvor, no desejo de você descansar a sua mente da rua e elevar o seu coração à Deus. Normalmente você tem que ficar como um papagaio repetindo para o irmão do lado alguma coisa,ou dizendo uma centena de vezes à Deus , chegando quase a um mantra gospel que quer mais de Deus( claro que alguns nesta hora já mentalizam as ofertas ,propósitos e dizimo), quando você não é obrigado pelo 'levita' a fazer uma mini aula de aeróbica: dançando, pulando, correndo, indo pra direita e esquerda...
Depois da interminável hora de louvor, vem os inúmeros anuncios que normalmente é uma forma de te oprimir a dar ou participar de alguma coisa, para que você se mantenha aceito, respeitável e útil para a igreja. Logo após vem a hora da oferta e dizimo e propósitos,em que algumas igrejas para serem mais suaves na 'hora da conquista bancária' tocam um louvor ou trazem uma mini pregação tentando comprovar que temos que dar o melhor em $ para o Senhor e Deus te recompensará de alguma forma (material), o emprego, a casa própria, o carro, um cargo na igreja, um descanso pra consciência pesada...
Depois de tudo isso... que já passou quase todo o tempo determinado para o culto, e você já está cansado, com fome, sono, pensando no dia seguinte e quase não lembra mais porque você foi mesmo naquele culto... ai vem a hora dela: A Palavra! Aí você em um suspiro pensa ( as vezes) agora vou ouvir Deus falar. Opa! Acabou o tempo da Palavra, só sobrou de quinze a trinta minutinhos... afinal não podemos ir até tarde com o barulho para os vizinhos incrédulos ao lado da igreja( vá que eles chamem a polícia,né?) e afinal amanhã é dia de acordar cedo para ir trabalhar...
Mas ainda há uma chance, se o pastor,bispo ou apóstolo "resolver" orar por alguém, vá que Deus derrame uma nova unção, uma profetizada básica, uma revelaçãozinha...só para nortear os passos já que não deu tempo para a Palavra....
Respondi a tua pergunta? Qual a importância que os protestantes de hoje dão para a palavra de Deus?Responda por si próprio...
Levante a bandeira da fé, erguemo-nos irmãos para viver em santidade,não só pregando a Palavra mas vivendo-a na nossa vida.Que os nossos lábios não fechem diante do comodismo,da falta de amor pelas almas, do falso moralismo,das facções e divisões, dos adultérios, da religiosidade mascarada, da libertinagem chamada de liberdade.
Por qual preço que fomos salvos?
Quem me dera que Lutero estivesse aqui...
Quem sabe o apóstolo Paulo...
Quem sabe o discípulo João não esqueceu de escrever mais algumas cartas pra igreja.Quem sabe escreveu ,mas ninguem leu...
A igreja de Cristo precisa urgentemente de novos Luteros, Paulos, Joãos, Calvinos, Pedros...
Será que você pode dizer : "Eis-me aqui... envia-me a mim, Senhor!" ???????

SENDO CRISTÃO SEM SER DE CRISTO


A Bíblia não esconde o fato de que além do cristianismo verdadeiro, legítimo, renascido da “água e do espírito”, há também um cristianismo aparente, formado por “cristãos” que não estão ligados a Jesus, não estão enraizados nEle, não vivem nEle e nem por Ele. Mesmo que tudo pareça legítimo, eles não passam de uma imitação. É desses “cristãos” que Paulo fala ao escrever a Timóteo, em sua segunda carta: “…tendo forma de piedade, negando-lhe, entretanto, o poder. Foge também destes” (2 Tm 3.5). A Edição Revista e Corrigida diz: “…tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. Destes afasta-te”. Na Nova Versão Internacional lemos: “…tendo aparência de piedade, mas negando o seu poder. Afaste-se desses também”. Sendo cristão sem ser cristão De acordo com pesquisas nos EUA, quase metade dos americanos se dizem cristãos renascidos. Mas uma análise mais aprofundada revelou que muitos confundem o novo nascimento com uma sensação positiva a respeito de Deus e de Jesus. Um levantamento estatístico entre os cristãos praticantes nos EUA apresenta resultados desanimadores, o que também é representativo em relação à Europa: •20% nunca oram •25% nunca lêem a Bíblia •30% nunca vão à igreja •40% não apóiam a “obra do Senhor” por meio de ofertas •50% nunca vão à Escola Bíblica Dominical (de todas as faixas etárias) •60% nunca vão a um culto vespertino •70% nunca dão dinheiro para missões •80% nunca freqüentam uma reunião de oração •90% nunca realizam culto em família [1] Se a situação já é assim na América marcada pela influência do puritanismo, quanto mais na superficial Europa. O próprio Senhor Jesus advertiu a respeito da confissão nominal, que carece de conteúdo verdadeiro, ou seja, que não está de acordo com o que vai no coração: “Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade” (Mt 7.21-23). Com isso, o Senhor esclarece quatro pontos básicos: há duas coisas que não são de forma alguma suficientes para que alguém seja salvo, e outras duas são imprescindíveis para que alguém seja redimido. Duas coisas insuficientes para a salvação Nem a simples confissão “Senhor, Senhor” (1) nem as obras em nome de Jesus (2) são suficientes para alcançar a salvação eterna. Em muitas igrejas, denominações e entidades cristãs as orações são meramente formais, os atos de caridade são feitos em nome de Jesus sem que aqueles que os realizam pertençam a Ele ou sejam filhos de Deus. Quantos indivíduos “cristãos” realizam atos cristãos sem pertencerem a Cristo! É assustador que no fim Jesus até mesmo condena as suas ações como sendo iníquas: “Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade”. Duas coisas imprescindíveis para a salvação Precisamos fazer a vontade de Deus (1) e precisamos ser conhecidos por Deus (2). 1. Fazer a vontade do Pai celeste não é realizar muitas boas ações, pequenas e grandes, mas ter fé em Jesus Cristo, entregar conscientemente a vida a Ele e obedecer-Lhe na prática. O judaísmo da época de Jesus tinha “boas ações” para apresentar: muitos eram fanáticos em seguir a lei, lidavam com a Palavra de Deus, expulsavam maus espíritos e faziam milagres. Mas uma coisa eles não queriam: crer em Jesus Cristo e, assim, aceitar a misericórdia que recebemos por meio dEle. Pensavam que chegariam ao céu sem Ele, que Deus reconheceria as suas obras e lhes permitiria entrar. Porém, foi justamente nesse ponto que Jesus tratou de contrariar seus planos. Eles tinham de aprender e aceitar que a vontade de Deus era que reconhecessem sua própria falência espiritual e cressem em Jesus. Nós enfrentamos o mesmo problema hoje. “Cristãos” nascidos em um ambiente cristão pensam que conseguirão ir para o céu por meio de obras cristãs. Ao lhes dizermos que nada disso serve, que no fim das contas as suas ações são iniqüidades inaceitáveis aos olhos de Deus e que eles continuam perdidos, a grande maioria reage de forma irritada, por pensar que não precisam de Jesus pessoalmente. Quando Jesus foi questionado: “Que faremos para realizar as obras de Deus?”, Ele respondeu: “A obra de Deus é esta: que creiais naquele que por ele foi enviado” (Jo 6.28-29). 2. Precisamos ser conhecidos por Deus. Haverá pessoas das quais Jesus dirá naquele dia:“Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade”. Não é suficiente crer em Jesus de forma superficial, reconhecê-lO, acreditar em Sua existência ou aceitá-lO até certo ponto. Não – é preciso que haja um encontro pessoal com Ele. Posso dizer: “Conheço o presidente do Brasil”. De onde o conheço? De suas aparições na mídia. Mas será que ele me conhece? Claro que não! No entanto, se eu fosse convidado a visitá-lo, teria a oportunidade de ser conhecido por ele. O Senhor Jesus convida cada ser humano, de forma pessoal, a entregar-se a Ele: “Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei” (Mt 11.28). Quem aceita esse convite, quem se achega a Ele com todos os seus pecados, quem O aceita em seu coração e em sua vida e crê em Seu nome (Jo 1.12), esse é conhecido por Ele. Quem fez isso reconheceu o Pai e o Filho de Deus e entrará no céu: “E a vida eterna é esta: que te conheçam a ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (Jo 17.3). “Tens nome de que vives… …e estás morto” (Ap 3.1). Há muitos que se chamam de “cristãos”, mas o são apenas nominalmente. O Senhor Jesus falou de pessoas que imaginariam servir a Deus matando justamente Seus verdadeiros filhos: “Eles vos expulsarão das sinagogas; mas vem a hora em que todo o que vos matar julgará com isso tributar culto a Deus. Isto farão porque não conhecem o Pai, nem a mim” (Jo 16.2-3). Em muitas igrejas, denominações e entidades cristãs as orações viraram rotinas, sem que aqueles que oram pertençam a Jesus. Eles reivindicam autoridade teológica, pensam servir a Deus, mas não conhecem nem o Pai nem Jesus Cristo. Isso aconteceu, por exemplo, na época das Cruzadas e da Inquisição. Hoje também existe uma teologia que reivindica toda autoridade para si e rejeita os que se baseiam na Palavra de Deus. Basta lembrar das muitas seitas e do islamismo, que afirmam que Deus não tem um Filho. Já no século VII antes de Cristo, na época do profeta Jeremias, havia dignitários religiosos meramente nominais. Ouvimos o lamento de Jeremias: “Os sacerdotes não disseram: Onde está o Senhor? E os que tratavam da lei não me conheceram, os pastores prevaricaram contra mim, os profetas profetizaram por Baal e andaram atrás de coisas de nenhum proveito” (Jr 2.8). Mesmo um cristão pode apostatar da fé. Quem com sua boca confessa ser cristão, mas não pratica o cristianismo no dia-a-dia, precisa aceitar que outros lhe perguntem se não está enganando a si mesmo. Não é exatamente isso que vemos hoje? Muitos teólogos abandonaram a fé bíblica e correm atrás de convicções que não servem para nada. Eles se abriram para religiões e correntes espirituais que não têm absolutamente nada a ver com Jesus Cristo. Isso também já aconteceu na época em que o povo de Israel peregrinou pelo deserto. Depois de ter louvado a grandeza e a soberania de Deus (Dt 32.3-4), Moisés emendou uma declaração sobre os infiéis: “Procederam corruptamente contra ele, já não são seus filhos, e sim suas manchas; é geração perversa e deformada” (v.5). Portanto, realmente é possível que aqueles que não são Seus filhos se tornem infiéis a Ele. É dito a respeito dos filhos de Eli: “Eram, porém, os filhos de Eli filhos de Belial e não se importavam com o Senhor… Era, pois, mui grande o pecado destes moços perante o Senhor, porquanto eles desprezavam a oferta do Senhor” (1 Sm 2.12,17). Não reconheceram ao Senhor porque desprezaram o sacrifício. Enquanto uma pessoa (por mais cristã que se considere) desprezar o sacrifício de Jesus pelo pecado, não reconhecerá o Senhor. Todos os israelitas saíram do Egito, mas da maior parte deles Deus não se agradou, motivo pelo qual tiveram de morrer no deserto (veja 1 Co 10.1-12). Como exemplo especial de alguém que era crente nominal e que realizava obras, mas que ainda assim estava espiritualmente morto, lembro de Balaão (veja Nm 22-24): •Ele era um homem a quem Deus se revelava, com quem Deus falava (Nm 22.9). •No começo ele foi obediente (Nm 22.12-14). •Ele afirmava conhecer o Senhor e O chamou de “meu Senhor” e “meu Deus” (Nm 22.18). •Ele adorava o Senhor (Nm 22.31). •Ele reconhecia a sua culpa (Nm 22.34). •Ele estava disposto a servir (Nm 22.38). •Deus colocou Suas próprias palavras na boca de Balaão (Nm 23.5). •Balaão abençoou Israel três vezes (Nm 23 e 24). •Ele testemunhou da sinceridade e da fidelidade de Deus (Nm 23.19). •Ele falou três vezes do Messias como Rei de Israel (Nm 23.21; Nm 24.7,17-19). •O Espírito Santo veio sobre ele (Nm 24.2). •Ele testemunhava ser um profeta de Deus (Nm 24.3-4). •Balaão confirmou a bênção e a maldição de Deus sobre os amigos e inimigos de Abraão (Nm 24.9, Gn 12.3). •Ele colocou o mandamento de Deus acima de bens materiais (Nm 24.13). •Ele falou profeticamente a respeito do futuro dos povos, sobre a chegada do Messias e chegou a mencionar o Império Mundial Romano [Quitim] (Nm 24.14-24). Apesar de tudo isso, a Bíblia chama Balaão de falso profeta, vidente e sedutor (veja Nm 31.16; Js 13.22; Ne 13.1-3; 2 Pe 2.15-16; Jd 11; Ap 2.14-16). Por quê? Porque Balaão fazia concessões e aceitava comprometimentos, e levou o povo de Deus a se misturar com outros povos. Havia uma discrepância entre suas palavras e ações. “Habitando Israel em Sitim, começou o povo a prostituir-se com as filhas dos moabitas. Estas convidaram o povo aos sacrifícios dos seus deuses; e o povo comeu e inclinou-se aos deuses delas. Juntando-se Israel a Baal-Peor, a ira do SENHOR se acendeu contra Israel” (Nm 25.1-3). Balaão havia levado Israel a essa prostituição (Nm 31.16; Ne 13.1-3). Pedro chama Balaão de alguém que“amou o prêmio da injustiça”. Na Epístola de Judas ele é chamado até mesmo de enganador (“erro de Balaão”) e no Apocalipse ele é apresentado como alguém que “armou ciladas”. A Bíblia diz a respeito das pessoas nos últimos tempos que “os homens perversos e impostores irão de mal a pior, enganando e sendo enganados” (2 Tm 3.13). Quem tende a prostituir-se espiritualmente ou a comprometer sua fé e suporta, permite e pratica essas coisas sem que sua consciência o acuse, tem motivo para crer que, apesar das aparências, não é um cristão verdadeiro. Com isso não estou me referindo à luta contra o pecado, que qualquer filho de Deus enfrenta. Não, aqui não se trata de “derrotas” na fé e na obediência, mas de lidarmos com o pecado de forma consciente e indiferente, de deliberadamente escolhermos a prática pecaminosa. Não somos salvos por nossas próprias obras, mas somente pela fé em Jesus Cristo, pela conversão a Ele. Só aqueles que O aceitam, ao Filho de Deus, em seu coração e em sua vida, com fé infantil, poderão realizar obras que testemunhem a veracidade de sua fé. Essa fé precisa estar “enraizada” na Palavra de Deus. Em Sua parábola sobre o semeador, Jesus diz que há pessoas que aceitam a Palavra de Deus com alegria, mas não criam raízes para ela e mais tarde a abandonam (Mt 13.20-21). A raiz liga a planta à terra, da qual ela vive, lhe dá firmeza, extrai alimento e o conduz à planta. A raiz é um símbolo do Espírito Santo, por meio do qual estamos enraizados em Deus. O Espírito Santo nos traz a vida em Deus, à medida que extrai alimento das Escrituras. Podemos aceitar a Palavra de Deus de forma superficial, podemos simpatizar com o Senhor, podemos acompanhar os cristãos durante algum tempo, mas depois nos afastar novamente, porque nunca nascemos realmente de novo e por isso nunca tivemos “raízes”. Jesus disse aos Seus discípulos, àqueles que O seguiam: “Contudo, há descrentes entre vós. Pois Jesus sabia, desde o princípio, quais eram os que não criam e quem o havia de trair” (Jo 6.64). De acordo com Hebreus 6.4-6, há pessoas que foram “iluminadas”, que “provaram o dom celestial”, e que até “se tornaram participantes do Espírito Santo” e ainda assim caíram. Por quê? •Porque foram iluminadas, mas elas mesmas nunca se tornaram luz. A luz pode se refletir em mim, e então estou iluminado; mas é preciso mais para que eu mesmo seja luz. •Porque provaram, mas não comeram (aceitaram). Posso sentir o cheiro do pão, provar o seu sabor (assim como o enólogo, que toma um pouco de vinho na boca para testar seu aroma, mas depois o cospe fora). Mas é preciso que aconteça mais: precisamos comer o pão, ingeri-lo. Não basta “provar” Jesus, ou seja, experimentá-lO – precisamos aceitá-lO em nós (Jo 6.53-56,63; Jo 1.12). •Porque participaram do efeito do Espírito Santo, mas nunca O receberam pessoalmente. Ao ler a Palavra de Deus, ao freqüentar um culto, posso participar do efeito do Espírito Santo. Mas isso não é suficiente. Não – é preciso que haja uma renovação espiritual real. É possível que pessoas assim imitem o cristianismo durante algum tempo, acompanhem e participem de uma igreja local. Mas um dia elas “cairão” e negarão a Jesus. Então muitos se perguntam espantados: “Como isso é possível?” Quando o Senhor Jesus falou de comer Sua carne e beber Seu sangue para ganhar a vida eterna (Jo 6.53-59), muitos de Seus discípulos disseram: “Duro é este discurso; quem o pode ouvir?” (v. 60) e se afastaram dEle (v. 66), apesar dEle ter lhe explicado de antemão o que isso significava: “O espírito é o que vivifica; a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida” (v. 63). Tornar-se cristão apesar de ser “cristão” Enganam-se a si mesmos os que pensam que todos são cristãos! Muitas vezes, quando questionei pessoas que davam a entender isso, a resposta era: “Meus pais são cristãos”, ou: “Minha família é cristã!” Um conhecido evangelista costumava responder a essas afirmativas: “Se alguém nasce em uma garagem, isso não significa que seja um automóvel! E quando alguém nasce em uma família cristã, ainda falta muito para que se torne cristão!” (extraído de um livro de Wilhelm Busch). Jesus disse a Pedro: “Eu, porém, roguei por ti, para que a tua fé não desfaleça; tu, pois, quando te converteres, fortalece os teus irmãos” (Lc 22.32). Por um lado, o Senhor confirmou a fé de Pedro. Por outro lado, porém, Ele falou da necessidade de sua conversão futura. Pedro poderia ter retrucado: “Senhor, sou judeu, um filho de Abraão. Cumpro os mandamentos, fui circuncidado ao oitavo dia, guardo o sábado, oro três vezes ao dia, celebro a Páscoa e faço os sacrifícios. E já Te sigo há três anos…” Mesmo assim, ele ainda precisava converter-se. Da mesma forma Paulo, o grande defensor da lei, precisou se converter, assim como todos os outros apóstolos e discípulos. Toda pessoa precisa se converter se quiser ser salva – inclusive os “cristãos”, sejam eles membros da igreja católica romana, protestantes, evangélicos ou de uma família cristã. Não são poucos os que nascem no cristianismo, da mesma forma como os judeus nascem no judaísmo. Mas, não é esse nascimento que dá a salvação, alcançada somente através de um “novo nascimento”: “Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus” (Jo 3.3). Precisamos nos converter mesmo que tenhamos sido batizados quando pequenos, freqüentado aulas de catecismo ou participado de cultos. Se não nascermos de novo, continuaremos perdidos. Mais tarde, quando o apóstolo Pedro se converteu e experimentou o novo nascimento, ele escreveu em sua primeira carta: “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança incorruptível, sem mácula, imarcescível, reservada nos céus para vós outros” (1 Pe 1.3-4). Quem carrega em si o testemunho do Espírito Santo a respeito de seu novo nascimento (Rm 8.16) deve alegrar-se com essa certeza e agradecer a Jesus Cristo por ela. Mas quem não possui esse testemunho inconfundível do Espírito Santo e ainda assim pensa ser cristão, está sujeito a um grande engano. Mas hoje esses “cristãos”, e qualquer pessoa que queira ser salva, pode alcançar a certeza da salvação, se converter-se de forma muito séria a Jesus Cristo. Então, por que esperar mais? texto:Norbert Lieth Fonte: Título original, “O Grande Engano”, Publicado anteriormente na revista Chamada da Meia-Noite, dezembro de 2006.Blogado de 'Discernimento Cristão"

A NOVA REFORMA PROTESTANTE


"Um movimento de fiéis critica o consumismo, a corrupção e os dogmas das igrejas - e propõe uma nova reforma protestante."
Conforme a revista Época de Agosto de 2010, temos este tema em letreiro bem grande,colocando pra fora em nível nacional como está o coração dos fiéis em relação a fé, a Cristo e o que pensam que é a 'igreja de Cristo' e a sua relação com o tipo de pastores e organizações eclesiásticas que convivemos.
Li a reportagem, e graças à Deus pude dar um 'UFA...NÃO ESTOU SÓ!
Já é tempo de amadurecermos espiritualmente, de ter uma fé mais enraizada nas escrituras sagradas do que nas promessas 'púlpitanas' movidas por um marketing que foi forjado no capitalismo e que de santo,só vai o nome da instituição ;porque de resto fede como sepulcro caiado!
Realmente percebo como Deus está no controle das coisas.Tanto das pequenas que acontecem no nosso 'mundinho' pessoal como em um todo.
Muitas vezes orei ao Senhor querendo entender como poderíamos sobreviver espiritualmente em meio a tantos escândalos eclesiásticos.Como poderíamos ter cara de chegar diante de uma pessoa e falar de Cristo diante do escândalo 'um',o 'dois' o....'mil'...como?
Nossas palavras se perdiam em meio a tantos maus testemunhos.
Muitas vezes pensei que o homem tinha tomado o lugar de Deus dentro da Igreja,não existe mais chamado divino diante da politicagem eclesiástica em que vivemos.Realmente sei que não há chance alguma de um chamado divino ser obedecido por uma instituição religiosa em que o líder já esteja corrompido pelo sistema,em que o seu coração de líder não está mais ligado a 'cabeça' que é Cristo e sim a sua posição,ao seu conforto, ao seu bolso e a sua conveniência.Mas estes são pastores-apóstolos de placas e almejam cadeiras que não estão ao lado de Cristo,mas de um outro clero que possa comungar com as mesmas ideias humanas de manipular a massa.
Hoje graças a eles e a todos os escândalos movidos pela sua corrupção,desejo de poder humano,suas faltas de escrúpulos e temor divino, está surgindo um povo verdadeiramente cristão.E é este povo que é a Igreja de Cristo,que teme ao Senhor Deus,que não coloca a Bíblia debaixo do braço ou tira o pó dela na estante.Agora somos como aquele povinho de Beréia,que analisava as escrituras e não ia atrás de qualquer fala mansa de terninho bonito.
Hoje digo em alta voz: DEUS ESTÁ NO CONTROLE DA IGREJA! A SUA IGREJA!!!
CRISTO fez uma promessa nos olhos de Pedro certa vez; Ele mesmo prometeu que edificaria a sua Igreja, e não sobre um homem mas sobre Ele próprio,pedra de esquina e angular.Nós é que não entendemos o recado e rapidamente deixamos qualquer homem conduzir,reformular,mudar,e se apropriar da Igreja de Cristo.
Se foi necessário os escândalos? Sim! Mas como a Bíblia mesmo diz:..mas ai daquele que provocou tal escândalo.
A palavra de Deus é viva, e como é.Quem diria que aquela pequena semente de fé,hoje poderia ser tão enraizada que pudesse permanecer diante deste falso evangélio que está sendo pregado por aí.
Sempre disse e irei morrer dizendo que Deus irá arrancar a sua Igreja de dentro das 'igrejas'.
E hoje creio que o tempo fará com que os verdadeiro cristãos, centralizados em Cristo,mais e mais estejam reunidos em seus lares e não nos pomposos templos.Lembram-se da igreja singela primitiva?É ... em uma mente pastoral lucrativa e corrompida ela é ineficiente e impossível de ser revivida nos dias atuais.Mas sinto que para Deus não.
Os apóstolos iam até as sinagogas e Jesus também ,era um costume.Como hoje é um costume ir a um culto. E também é notório que é lá nas sinagogas que estavam os fariseus e todo o resto de religiosos medidores do valor humano pelo tamanho das ofertas e da quantidade de linho puro nas vestes,como hoje assim é nas nossas igrejas.
Mas o detalhe está em conhecer a Jesus, a saber o tamanho do valor que é e está no Nome de Jesus! Quando Pedro descobriu isso,antes de chegar na sinagoga repartiu o que tinha com o coxo, e ele recebeu e houve um milagre.Interessante que o coxo não estava dentro do templo,mais interessante ainda é que anos os religiosos passavam por ele e só davam aquilo que para eles valia,algumas moedas.
Podemos permanecer dentro das nossas ricas sinagogas com os nossos sacerdotes , enchendo os balaios das ofertas e nos medindo segundo as vestes e posições.Ou mudarmos,verdadeiramente seguir os passos de Jesus.
Muito interessante o chamado de Jesus descrito em Isaías que diz que viria o desejado das nações,ele daria vista aos cegos,ouvidos aos surdos,ele traria esperança aos contrito de alma.
Jesus está fazendo isso,nunca deixou de fazer....
A cegueira espiritual está saindo,a luz do evangélio genuíno está deixando as escamas caírem,os ouvidos espirituais estão sendo assoprados por Deus.Há um novo sussurro do Espírito Santo aos ouvidos do seu povo, ele não nos deixará sermos abatidos,ele é o bom pastor,aquele que dá a vida pelas suas ovelhas.Chega dos maus pastores!Olhemos para o bom pastor,que cuida das feridas da Sua Igreja,ele conhece todas as cicatrizes do arrancar da lã e do desfrutar ilícito da gordura dos maus pastores.Ele limpará toda a ferida,ele mesmo a ligará.Ele sarará as nossa feridas.
Ao cheiro das águas irmãos...ao cheiro das águas brotará a nossa novidade.Mais do que nunca é ora de não seguir o exemplo de Pedro.Não olhe para os lados,estamos submergindo em meio a lama eclesiástica atual.
É hora de olharmos para Jesus e seguir em frente e para frente.
O pastor da tua igreja não é Jesus e nem tampouco o meu, apesar de biblicamente temos que obedece-lo( desde que ele esteja obedecendo a Cristo ).A confusão que vimos na igreja não tem nada a ver com Jesus, e sim com um bando de homens que erram e erram, e que infelizmente são muito poucos que admitem o erro e retornam a humildade e obediência das Escrituras.Mas eu e você?
Somos Igreja de Cristo, fazemos parte deste corpo divino e pelo menos nós temos que ter a certeza que estamos ligados na cabeça divina que do todo é Cristo!
Sacode a poeira e prossiga, isto se o teu alvo ainda é Jesus.
Para ver a reportagem completa da revista Época ascesse este site:
http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI161475-15228-1,00-A+NOVA+REFORMA+PROTESTANTE.html

A ABSOLUTA IMPORTÂNCIA DO MOTIVO - A.W.TOZER


A prova pela qual toda conduta será finalmente julgada é o motivo. Como a água não pode subir mais alto do que o nível, assim a qualidade moral de um ato nunca pode ser mais elevada do que o motivo que inspira. Por esta razão, nenhum ato procedente de um motivo mau pode ser bom, ainda que algum bem pareça resultar dele. Toda a ação praticada por ira ou despeito, por exemplo, ver-se-á, afinal, que foi praticada a favor do inimigo e contra o reino de Deus. Infelizmente, a atividade religiosa possui tal natureza, que muito desse tipo de atividade pode ser realizado por motivos maus, como a raiva, a inveja, a vaidade e a avareza. Toda a atividade desse tipo é essencialmente má e como tal será avaliada no julgamento. Nesta relação de motivos como em muitas outras, os fariseus dão exemplos claros. Eles continuam sendo o mais triste fracasso religioso do mundo, não por causa do erro doutrinário, nem porque eram pessoas de vida abertamente dissoluta. Todo o problema deles estava na qualidade dos seus motivos religiosos. Oravam, mas para serem ouvidos pelos homens, e, deste modo, o seu motivo arruinava as suas orações e as tornavam inúteis e, realmente más. Contribuíram para o serviço do templo, porém, às vezes, o faziam para escapar do seu dever para com os seus pais, e isso era um mal, um pecado. Os fariseus condenavam o pecado e se levantavam contra ele, quando o viam nos outros, mas o faziam motivados por sua justiça própria e por sua dureza de coração. Isso caracterizava tudo o que faziam. Suas atividades eram cercadas por aparências de santidade; e essas mesmas atividades, se fossem realizadas por motivos puros, seriam boas e louváveis. Toda a fraqueza dos fariseus estava na qualidade de seus motivos. Isso não é uma coisa insignificante - é o que podemos concluir do fato de que aqueles religiosos formais e ortodoxos continuaram em sua cegueira, até que finalmente crucificaram o Senhor da glória, sem qualquer noção da gravidade do seu crime. Atos religiosos praticados por motivos vis são duplamente maus - maus em si mesmos e maus por serem praticados em nome de Deus. Isto equivale em pecar em nome dAquele Ser que é impecável, a mentir em nome dAquele que não pode mentir e a odiar em nome dAquele cuja natureza é amor. Os crentes especialmente os mais ativos, freqüentemente devem separar um tempo para sondar a sua alma, a fim de certificarem-se dos seus motivos. Muito solo é cantado para exibição; muitos sermões são pregados para mostrar talento; muitas igrejas são fundadas como um insulto contra outra igreja. Mesmo a atividade missionária pode tornar-se competitiva, e a conquista de almas pode degenerar, tornando-se uma espécie de marketing eclesiástico para satisfazer a carne. Não esqueçam que os fariseus eram grandes missionários e rodavam o mar e a terra para fazer um converso. Um bom modo de evitar a armadilha da atividade religiosa vazia é comparecer diante de Deus, sempre que possível, com nossa Bíblia aberta em I Coríntios 13. Esta passagem, embora seja considerada uma das mais belas da Bíblia, é também uma das mais severas dentre as que se acham nas Escrituras Sagradas. O apóstolo toma o serviço religioso mais elevado e consigna à futilidade, se não for motivado pelo amor. Sem amor, profetas, mestres, oradores, filantropos e mártires são despedidos sem recompensas. Resumindo, podemos dizer que, aos olhos de Deus, somos julgados não tanto pelo que fazemos e sim por nosso motivos para fazê-lo. Não "o quê" mas "por quê" será a pergunta importante que ouviremos, quando nós, crentes, comparecermos no tribunal, a fim de prestarmos contas dos atos praticados enquanto estivemos no corpo. Tradução: Pr. Timóteo Sanches Site: Luz Para o Caminho

BULLYING DA FÉ - A BRECHA DA IGREJA DE HOJE


"Quanto menos aquele, que não faz acepção das pessoas de príncipes, nem estima o rico mais do que o pobre; porque todos são obra de suas mãos." { 34:19}
Lembro-me da primeira vez que entrei em uma igreja evangélica na minha vida...foi a pior coisa que me aconteceu!
Tinha meus vinte anos e passava por tempos muito difíceis, então fui convidada por uma amiga para ir até a sua igreja e se achegar a Deus.Me arrumei para ir ao tal culto, coloquei uma roupa descente,nada chamativo ao meu corpo,pois o que menos queria naquele momento era um homem carente me olhando.
Quando a amiga foi me buscar ela me olhou...e olhou... e disse:Sabia que tu iria colocar calça por isso trouxe uma saia ,pois lá na minha igreja mulher não entra de calça!
Apesar do balde de água fria..lá fui eu...afinal ela só queria me ajudar .Ao chegar na porta da igreja uma senhora sorridente e educada estava na porta saudando a todos,quando me viu eu pensei ...'agora é minha vez de receber o sorriso o aperto de mão ou até um abraço", ela sorriu e quando foi me abraçar disse:"estou notando que está visitando-nos,então se não se importa a tua correntinha e os brincos ficarão comigo,no final do culto te devolvo,me desculpe é que tais coisas chamam o demônio pra perto."
Queria morrer!Fazer um buraco e me enterrar e minha amiga .essa aí eu queria torcer o pescoço dela(só meia hora)..hehehe
Com certeza foi o pior culto da minha vida,mas graças a Deus sou persistente e fui outras vezes,agora vestida de 'crente'.Então venho a campanha do Espírito Santo,e a promessa era de quem não fosse batizado receberia o batismo.Como não sabia nada de nada, fui me informar o que era aquilo...e a resposta foi: 'É o "sim " de Deus pra você!"hummm....
Me explicaram o que eu tinha que fazer pra receber o 'sim' de Deus.A receita era: Jejue todos os dias até o dia da campanha e ore,mas ore muito pedindo perdão.
Chegando o dia da campanha e depois de fazer todo o ritual,bom eu fui a única que recebi um 'não' como resposta,para consolo o pastor disse:Calma jovem Deus sabe a hora certa pra cada um,talvez você não estava pronta!
Bom, foi o suficiente para eu dar um basta aquilo tudo, e pensei:" bom, se Deus quer alguma coisa comigo Ele virá atrás de mim, pois eu já dei o primeiro passo."
O que eu ganhei? Bom , foram cinco anos de muita sequidão, indo e vindo nas mãos do diabo. Até que tive um surto de raiva no banheiro de minha casa e briguei com Deus, tipo assim..."vai me querer ou não!"
Passou cinco dias e uns missionários bateram na minha porta e disseram:"Deus mandou nós virmos aqui e dizer a você que Ele te ama e te quer ao lado dEle". Então fizemos as pazes...
Está história é uma de muitas que estão aí, pode ser a tua que está lendo.
A questão aqui é : Me apresentaram um Deus que não era o das Escrituras,um Jesus que não é o que eu tenho hoje,e eu fui em um lugar que não era a verdadeira Igreja do Senhor.
Sofri acepção, era notada ,observada como se tivesse algo errado,colocada de lado,parecia um peixe fora d'aguá.Eu pensava que Deus era tão perfeito que eu era muito ruim para Ele.
Na verdade a sociedade cria para si normas de conduta e tabula cada pessoa,nos etiquetando e enfileirando em padrões próprios que a mesma o fez.
Os padrões da sociedade mudam com o tempo , lugar e seus objetivos próprios. O que é bom hoje foi ruim ontem .Na verdade somos escravos do sistema, e isso é sério e muito!
Hoje os grandes meios de comunicação tem falado muito sobre : BULLYING.

O BULLYING nada mais é do que o ato de fazer acepção a uma pessoa por ela não se enquadrar ao que está sendo como 'normal' a um determinado tipo de grupo de pessoas.O bullying é um ataque a pessoa e se torna uma arma fatal que leva a um estado de inferioridade e vergonha,trazendo medo,depressão, vergonha, exclusão,e em casos mais sérios leva a problemas clínicos,psíquicos e até a morte.
O bullying, o desprezo, a indiferença, a exclusão, a ridicularização, o preconceito,tenha o nome que for, nada mais é do que a falta de AMOR .
Digo com todas as letras :que dentro das igrejas de hoje ,principalmente no meio evangélico, o bullying existe e é atuante.
O número de igrejas a cada dia aumenta mais e cada uma tem suas regras de conduta,de maneiras de se vestir, tipos de músicas e ritimos que são tidos como certos, e cada um que entra tem que se enquadrar se não a porta da rua está aberta; pois sabemos que tem igreja para todo o tipo de pessoa.E se o tal não quiser sair e se enquadrar as normas terá que sofrer ,e sofrerá com certeza o 'bullying da fé'.Terrível, mas verdadeiro!
Não importa o quanto somos devotos a obra de deus,o quanto amamos ao Senhor,ou até pelo que o Senhor já nos fez,o nosso testemunho próprio, se não somos o 'tipo' de pessoa que se enquadra a 'placa' ficaremos excluídos e não haverá oportunidades eclesiásticas em tal meio.
A prova disso é o número de 'comunidades cristãs' que surgiram tem sido enorme, e se iremos falar com os pastores de cada uma delas, sem sombra de dúvida eles dirão:"Amava a Cristo e não fui aceito na 'placa a ou b' e ,por amor a Cristo e a sua obra hoje estou aqui".E a sua igreja ou chamada comunidade recebe a cada dia milhares de pessoas sedentas por Deus e cheias de amor a obra de Cristo. Ninguém tem o direito de dizer...
Quem Deus aceita;
Quem entrará no céu;
Quem é digno de receber salvação;
Nenhum homem pode medir a santidade, a devoção ,o amor a Cristo de outra pessoa.
Se somos templo do Espírito Santo de Deus, se Cristo morreu por todos não cabe a nós sermos porteiros do céu.
Foi por um alto preço que fomos comprados, preço de sangue, Cristo deu tudo por todos e a sua última oração pediu a Deus:"...que nenhum dos que Tu me deste se percam."Então que não seja nós a empurrá-los para o inferno.Nosso dever é amar ,amar e amar.A obra em cada um é Deus que faz!E verdade é que todos são úteis ao reino de deus,todos precisamos de salvação,amor,respeito,e credibilidade.
Quando estamos na nossa vida secular, na escola sendo um adolescente, no trabalho, na familia em meio a vários irmãos de sangue, somos em momentos encurralados e menospresados.Quem nunca recebeu um apelido constrangedor?
Lembremos aqui o caso de José, que até ser governador sofreu bullying pelos irmãos de sangue e depois no Egito,pois tudo que tocava dava certo.
Paulo certa vez falou duramente com a Igreja e a exortou,quando os irmãos estavam a "medir "quem era melhor se Paulo ou Apólo.
O precioso sangue de Cristo que anulou a nossa divida,por ventura não vale mais que uma gravata?que uma saia? que uma barba? que uma trança?que uma tatuagem?que uma raça?uma cor?um estilo?
Quando leio o Evangélio,as pessoas que mais foram duramente exortadas por Cristo foram os fariseus,os sacerdotes que se achavam 'os bam-bam-bans espirituais'.Não foi Cristo o nosso Senhor que foi inverso a todo o tipo de sistema religioso? E que as suas atitudes denotavam este rompimento de valores e regras para ser aceito ou não por Deus, e que Ele mesmo dizia que o reino de deus não é bebida e nem comida?
Por que estamos nós voltando a tais sistemas e regras?
Por que Deus levantou Lutero?
Por favor voltemos a dar mais valor ao sangue de Cristo !
Diga NÃO a todo o tipo de discriminação!
Todos somos importantes, valiosos, e cada um tem um dom e um chamado específico.
De que adianta clamarmos por almas se não damos a verdadeira importância que elas tem para Deus?Evangelizarmos as prostitutas ,os drogados, jovens de todas as 'tribos',os viciados , os doentes terminais, os carentes, os presidiários, se quando eles entrarem pela porta da nossa igreja a falta de respeito, amor, consideração destruirá esta pessoa novamente?
Enquanto brincamos do que é certo e errado,as brechas estão aí e Satanás está dando risadas de braços abertos para novamente aprisionar,matar e destruir.
DIGA NÃO AO BULLYING DA FÉ!

::PESQUISAR NO GOOGLE::

DICAS DE CD'S

DICAS DE CD'S

  • * Abraça-me - David Quinlan
  • * Abundante Chuva - Fernandinho
  • * Apenas Um Toque ao vivo - Fernanda Brum
  • * Atmosfera de Adoração 1 - 2 - 3 - 4 - 5 - Min. Irineo Grubert
  • * Casa Favorita - Filhos do Homem 3
  • * Cassiane 25 anos de muito Louvor - Cassiane
  • * Completamente Apaixonado - Judson Oliveira
  • * Devolta a Inocência - Quatro por Um
  • * Ele Enxugou Minhas Lágrimas - Judson Oliveira
  • * Eletro Acústico - Paulo César Baruk & banda Salluz
  • * Eleva-me - Santa Geração 9
  • * Em Tua Honra - David Quilan
  • * Excelência - Nani Azevedo
  • * Meu Encontro - Chris Durán
  • * Poderoso Deus -Santa Geração
  • * Protegida - Lydia Moisés
  • * Rasque os Céus e Desce - Santa Geração 7
  • * Restituição - Min. Apascentar de N. Iguaçu
  • * Shalon Jerusalém - Paul Wilbur & Ana Paula Valadão
  • * Sol da Justiça - Fernandinho
  • * The Ultimate Gospel - Elvis Presley
  • * The Watchman - Paul Wilbur
  • * Tu És Tão Lindo - Santa Geração
  • * Unção que Une - Heloisa Rosa
  • * Único Desejo - Min. Ouvir e Crer
  • *Ainda estou Aqui - Voz da Verdade

  • * 101 Maneiras de ter um Natal cristão AUTOR: Brenda Verner Copyright © 2006 por Verner Brenda.
  • * A Era dos Mártires - Ed. Vida Nova
  • * Autoridade Espiritual - Watchman Nee
  • * Caçadores de Deus - Tommy Teney
  • * Cinco Votos para Obter Poder Espiritual - A.W.Tozer
  • * Debaixo das Suas Asas - John Bevere
  • * Doze Homens e Uma Missão - Ed. Hagnus
  • * Ele Escolheu os Cravos - Max Lucado
  • * Heróis da Fé - Orlando Boyer
  • * Lutero - Ed. Vida
  • * O Evangelho Reunido - Juanribe Pagliarin
  • * O Livro dos Mártires - Ed. Hagnus
  • * O Nome De Jesus - Kenneth E. Hagin
  • * O Peregrino - John Bunyan
  • * O que Jesus diria da sua Igreja? - Richard Mayhue
  • * Quando Não Dá Mais... - Juanribe Pagliarin
  • * Sorria - Max Lucado
  • * Uma Vida Voltada para Deus, de John Piper. Editora FIEL

  • ATRAVÉS DA BÍBLIA LIVRO POR LIVRO - Mier Pearlman/Editora:Vida Acadêmica
  • HISTÓRIA DO CRISTIANISMO - A. Kmight & W. Anglin/Editora:CPAD
  • HISTÓRIA ECLESIÁSTICA - Eusébio de Cesárea /Editora:CPAD
  • USOS E COSTUMES DOS TEMPOS BÍBLICOS - Gower/ Editora:CPAD
  • O CRISTIANISMO ATRAVÉS DOS SÉCULOS ( UMA HISTÓRIA DA IGREJA CRISTÃ) - Earle E. Cairns/Editora:Vida Nova

  • * Bíblia da Liderança Cristã [Excelente Estudo e Discipulado para Obreiros, Ministros, Pastores e Líderes,feitas pelo Sr. John C. Maxwell vale a pena conferir] Editora:Soc. Bíblica do Brasil
  • * Bíblia Shedd [Com os seus Estudos Escritos pelo Sr. Pastor Russell P. Shedd] Editora: Vida Nova e Soc. Bíblica do Brasil
  • * Bíblia de Estudo de Genebra [Uma das Melhores Bíblias de Estudo com uma linguagem fácil e um vasto estudo a cada versículo] Editora: Cultura Cristã e Sociedade Bíblica do Brasil
  • * Biblia de Estudo Pentecostal [Trás uma Explicação de quase todos os Versículos para que o leitor possa entender profundamente o sentido de cada passagem] Editora : CPAD
  • * Bíblia de Estudo Devocional [Pastor Max Lucado - Trás em Cada Texto Bíblico uma Noção Histórica do Tempo em que se passa ,o Objetivo Central e um Aconselhamento] - Editora: CPAD
  • * Bíblia Da Família [Com Estudos e Aconselhamentos - a todo o tipo de Questões Familiares - Pelo Pastor Jaime Kemp e sua Esposa Judith Kemp ] Editora: Soc. Bíblica do Brasil
  • * Bíblia de Referência Thompson - [ Versículos em Cadeia Temática,com ótimos estudos Bíblicos de apoio ] Editora : Vida
  • * Bíblia de Jerusalém [Tradução de Textos Direto dos Originais] - Editora: Paulus